domingo, 12 de julho de 2009

O processo da escrita
Existem várias crenças, teorias e opiniões sobre o desenvolvimento da modalidade escrita da linguagem. Porém estas ideias concatenam-se no que se refere a importância do uso desta habilidade sócio-comunicativa para o exercício da cidadania.
A aprendizagem da escrita, ao contrário da linguagem oral, não é um processo natural. Aprende-se a escrita num contexto específico: a escola. Cabe aos professores a responsabilidade de ensinar a escrever e esta aprendizagem ocorre em processo primário na escola. No que tange o trabalho com a escrita, a nível de 6º ao 9º ano e Ensino Médio, restringe-se apenas a produção de textos narrativos, descritivos e dissertativos e muitas vezes os temas propostos distanciam-se da realidade do educando e de seus conhecimentos prévios, dificultando assim a confecção do texto e contribuindo para que este aluno afaste-se mais da modalidade escrita da linguagem.
O processo da escrita está diretamente ligado ao ato da leitura. Mas ao contrário do que muitos pensam o indivíduo não desenvolverá a escrita apenas por ler muito. A leitura é necessária, mas não suficiente para o desenvolvimento da escrita. Aprender a escrever exige trabalho, persistência, tanto por parte do aluno, como de quem ensina.
Outro fator preponderante para aquisição da habilidade de escrever está ligado ao contexto cultural e familiar do sujeito. As histórias que a família e comunidade passam para a criança apresentam uma estrutura e seqüência lógica. Estes mecanismos vão sendo assimilados pelo indivíduo e facilitarão a produção de novos textos, pois as primeiras etapas da aprendizagem da escrita funciona como uma forma de transcrição da oralidade. O professor deve atentar para o fato de que muitos alunos vivem em ambientes iletrados e semi-letrados, e chegam à escola sem nenhum contato com a modalidade escrita de sem nunca terem sido estimulados para esta competência. No processo ensino-aprendizado da escrita deve-se valorizar a relação da escrita com a leitura, com as experiências de vida e com a descoberta de novos mundos. Aprender a escrever e lidar com as diferentes práticas da cultura escrita, possibilita ao sujeito expressar-se e posicionar-se criticamente às demandas dos ambientes que estiverem.



Por: Lucas Neiva

Um comentário:

prof rogerio disse...

Excelente... Parabéns Lucas!!