sábado, 28 de agosto de 2010

        De quando em vez, são eles os poetas...
                                                                              



Da janela  da minha casa eu vejo...



Da janela da minha casa

eu vejo um sabiá,

voando tranquilamente,

sempre a cantar.


O sabiá é meu amigo,

meu amigo camarada,

fica comigo desde a tarde

até a madrugada.


Da janela da minha casa

eu vejo uma macieira,

onde meu amigo sabiá

passa a manhã inteira.



Mas eu tenho outra amiga,

uma amiga especial

é a janela querida

Fica no fundo do quintal.


 
Pois sem ela não existiria sabiá

 nem macieira.

Só existiria um menino

tristonho a noite inteira

tristonho a vida inteira.

 
Raul Procópio Mota
7º ano 8


                                                                             

                                                                    Da janela da minha casa eu vejo...




Um grande caracol

                                      arrastando-se ao sol...



Uma linda borboleta

                                                   pousada em uma violeta...


Alguns passarinhos

                                                    construindo rapidamente seus ninhos...


 
À noite, uma linda lua

                                     clareando toda a rua...



       Uma gota de orvalho a brilhar

                                             sobre uma folha a balançar...


              Sei que o que vejo da minha janela,

                                              e das minhas janelas

                                                                             são coisas belas.



                            Milena Almeida dos Santos
7º ano 4


Minha cama


 
Minha cama é minha alma!

lá me sinto feliz.

Durmo bem calma,

meu nome é Beatriz


Minha cama é macia.

Minha cama é deliciosa.

Minha cama é uma poesia.

Minha cama é maravilhosa!


Minha cama teve uma briguinha

com os sinais de pontuação.

Na minha cama fiquei chateadinha

depois daquela reunião.
Beatriz Marques Dias
7º ano 13



 
Da janela da minha casa eu vejo...



Da janela minha janela eu vejo

Crianças brincando e

Pássaros voando.


Da janela da minha casa eu vejo

Uma praça legal

Com uma grande quadra de futsal.


Da janela da minha casa eu vejo

Meus amigos brincando

E até alguns me chamando.


 
Da janela da minha casa eu vejo

Pessoas orando

E outras se drogando.


Da janela da minha casa eu eu vejo

Muitos adultos indo trabalhar

Pois o pão de cada dia tem que comprar.


 
Thomás de Barros O. Vidal
7º ano 8


Nenhum comentário: